EXPANSÃO DO DISTRITO INDUSTRIAL LUANDA

plano diretor da zona econômica especial

LOCAL

Distrito Industrial de Luanda, Angola

ÁREA

40.000 ha

TEMPORALIDADE

2009

CONTRATANTE

Sondotécnica

 

NATUREZA 

Consultoria Ad-Hoc

 

ATIVIDADES REALIZADAS 

Elaboração do Plano Diretor da Zona Econômica Especial 

EQUIPE 

Claudia Brandão de Serpa, José Augusto Guedes Falcão e Aloísio Joaquim Rodrigues Filho

SÍNTESE

A área é tangenciada pela Rodovia Nacional e pela Rodovia Cabolongo, sendo vizinha ao novo aeroporto. Nela se pretende instalar um conjunto de atividades econômicas, principalmente industriais, complementada com o uso comercial e de serviços.

O Plano Diretor desta ZEE estabelece condições de uso e de ocupação da área, indicando o zoneamento, o sistema viário adequado, o conjunto de normas e exigências para a instalação das atividades econômicas, bem como as ações mitigadoras dos impactos gerados pela entrada em operação das atividades. O trabalho teve com objetivo integrar, de forma orgânica, todos os elementos da região e visou resultar num pacto coletivo entre o poder público e a sociedade civil.

mapas da setorização existente e da setorização proposta

TEMPORALIDADE

2009

AGENTE FINANCIADOR

ATIVIDADES REALIZADAS 

Consultoria Secretaria Municipal de Urbanismo, na área de planejamento urbano e legislação urbanística, para análise da proposta de revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo, do município do Rio de Janeiro. 

EQUIPE 

Claudia Brandão de Serpa

Em 2009, o NAPP elaborou o Plano Diretor para a área de expansão do Distrito Industrial de Luanda, Angola, uma área de aproximadamente 40 milhões de metros quadrados, denominada como Zona Econômica Especial. A área é tangenciada pela Rodovia Nacional e pela Rodovia Cabolongo, sendo vizinha ao novo aeroporto. Nela se pretende instalar um conjunto de atividades econômicas, principalmente industriais, complementada com o uso comercial e de serviços.

O Plano Diretor desta ZEE estabelece condições de uso e de ocupação da área, indicando o zoneamento, o sistema viário adequado, o conjunto de normas e exigências para a instalação das atividades econômicas, bem como as ações mitigadoras dos impactos gerados pela entrada em operação das atividades. O trabalho teve com objetivo integrar, de forma orgânica, todos os elementos da região e visou resultar num pacto coletivo entre o poder público e a sociedade civil.